Aprendendo Sobre Negócios, Tecnologia e Comportamento com Herbie Hancock e Wayne Shorter

Recentemente li um post de um dos meus antigos amigos músicos (um dos melhores bateristas do Brasil por sinal), uma “carta aberta”, um manifesto publicado por dois dos maiores gênios da música atual, Herbie Hancock e Wayne Shorter, dos quais sou fã. Este artigo me impressionou bastante com o enorme alinhamento entre a arte como forma de expressão, e um outro assunto, totalmente diferente, e que tem sido objeto da minha preocupação atual: A transformação digital e as tendências para o futuro no universo empreendedor dos corretores de seguros como canal de distribuição.

Segundo os autores, os tempos são de bastante turbulência, e embora algumas pessoas possam sentir desalento ou preocupação com os caminhos atuais, devemos enxergar as mudanças positivamente. Embora a carta tenha sido endereçada inicialmente a um público de artistas, conforme Hancock e Shorter, “essas ideias transcendem as fronteiras profissionais e se aplicam a todas as pessoas, independentemente da profissão”. Não poderia ser mais verdade, afinal, gênios são gênios, não importa em que linha de atividade.

Esta carta enumera 10 insights, os quais compartilho com vocês abaixo, e a fim de preservar a rica fonte, mantenho destacados e em itálico, os trechos originais dos autores:

1 – ‘EM PRIMEIRO LUGAR, DESPERTE PARA A SUA HUMANIDADE’

Em nenhum outro momento da história humana experimentamos a interrelação de pessoas tão diferentes, com tamanha heterogeneidade em todos os aspectos. São quatro gerações convivendo simultaneamente com enormes diferenças políticas, sociais, econômicas, culturais, sexuais e comportamentais, o que torna nosso processo de comunicação cada vez mais complexo, afinal, não é mais possível interagir com a “massa”, posto que não há mais “massa”, mas sim centenas de tribos, todas com suas opiniões formadas, e um desejo latente de ter voz ativa. Neste cenário é cada vez mais importante que se tenha em mente os aspectos de humanidade que nos são tão comuns. “Não estamos sozinhos, não existimos em solidão e não podemos criar em solidão. O mundo precisa de um despertar humanista do desejo de elevar as condições de vida até um lugar em que nossas ações estejam enraizadas no altruísmo, na compaixão e no bem comum. Você não pode se esconder atrás de uma profissão ou instrumento (ou empresa, por melhor que sua startup seja). É necessário concentrar nossas energias em sermos os melhores “humanos” que conseguimos ser, através da empatia e da compaixão”. Aí, você, empreendedor, que está à frente de uma empresa, pensa: Como devo me comunicar com meu público hoje? Pode haver forma mais eficaz do que essa?

2 – ‘PROCURE E DOMINE O CAMINHO MENOS TRILHADO’

“O mundo necessita de novos caminhos”. O cara que vai quebrar seu negócio provavelmente será alguém que NÃO veio do mesmo segmento que você. Disrupção é isso: faça o que ainda não fizeram, o que ninguém pensou, desconstrua seu negócio antes que alguém o faça por você. Tenha a coragem de se despir de suas experiências e conhecimentos passados e atire-se no novo! “Nunca se conforme”.

3 – ‘DÊ BOAS VINDAS AO DESCONHECIDO’

O desconhecido não deve mais causar medo, simplesmente por ser desconhecido. Neste novo cenário, cada vez mais, “o improviso e o processo criativo de instante em instante”, que são marcas tão características do Jazz,  tomam o lugar da nossa necessidade de planejamento, de segurança. É hora de se lançar do ninho, e aprender a voar, voando. Nunca na história humana, a capacidade de execução e realização foi tão determinante para o sucesso quanto hoje. “Não há ensaio para a vida porque a vida é, ela mesma, o verdadeiro ensaio. Cada relacionamento, obstáculo, interação, etc., é um ensaio para a próxima aventura da vida. Tudo está conectado. Tudo faz parte da construção. Nada é desperdiçado.”

4 – ‘COMPREENDA A VERDADEIRA NATUREZA DAS DIFICULDADES’

“Temos uma ideia preconcebida sobre o fracasso, mas ela não é real; é uma ilusão. O fracasso não existe. O que você percebe como fracasso é, na verdade, uma nova oportunidade, uma nova rodada, ou uma nova tela na qual pintar. A vida tem oportunidades ilimitadas. As próprias palavras “sucesso” e “fracasso” não passam de rótulos. Cada momento é uma oportunidade. Você, enquanto ser humano, não tem limites; portanto, possibilidades infinitas existem em qualquer circunstância”.Neste insight preservei exatamente as palavras dos autores, pois não há nada mais a acrescentar, não acham? É tempo de aprender errando rápido, com o menor custo possível, e corrigindo mais rápido ainda. Pra simplesmente, continuar errando e seguindo este ciclo até errar cada vez menos.

5 – ‘NÃO TEMA INTERAGIR COM AQUELES QUE SÃO DIFERENTES DE VOCÊ’

“Nossas diferenças são o que temos em comum”. O que nos torna cada vez mais ricos, é a capacidade de aprender e conhecer o mindset de quem é diferente de nós. “Devemos trabalhar para criar um plano aberto e contínuo no qual todos os tipos de pessoas possam trocar ideias, recursos, solicitudes e gentilezas. Precisamos nos comunicar uns com os outros, aprender mais uns sobre os outros, e compartilhar a vida uns com os outros”. Quanto mais permitirmos a livre interação, mais conseguiremos perceber que a nossa humanidade transcende todas as diferenças.

6 – ‘PROCURE CRIAR UM DIÁLOGO SEM SEGUNDAS INTENÇÕES’

A transparência como forma de manifestação, é essencial para manter um diálogo sem ruído. Justamente por nossas diferenças, é fundamental mantermos nossa autenticidade e passarmos uma mensagem clara, sem os antigos “jogos” de palavras, eufemismos, ou dubiedades. Com tanta gente diferente com voz ativa ao mesmo tempo, não podemos nos dar ao luxo de mais defeitos na comunicação. Comunicação não é o que você diz, e sim o que o outro entende. Saiba transmitir sua mensagem numa língua universal. Não importa qual seja seu canal, ou a tecnologia que vai usar, os novos tempos exigem que as pessoas saibam se comunicar. Estamos na era do “Papo reto”.

7 – ‘CUIDADO COM O EGO’

Assim como na arte, o mundo dos negócios encontra dificuldades na arrogância das pessoas que acreditam que o “status de que gozam faz delas mais importantes, ou daqueles cuja associação com um campo criativo (ou de negócios), lhes dá direito a algum tipo de superioridade. Tome cuidado com o ego; a criatividade não consegue fluir quando o ego é o único senhor”. Quem acha que sabe tudo não aprende nada. E neste novo cenário e mercado, o conhecimento daquele “algo novo” pode acabar se sobrepondo a tudo o que você já aprendeu na vida até agora. Aquele curso de uma semana, ou aquele livro que te indicaram pode te trazer mais resultado no futuro e mais insights sobre os caminhos do seu negócio, que seus 30 anos de experiência de vida até hoje. Uma vez, quando eu tocava contrabaixo, me perguntaram de quem eu tirava inspiração e referências para fazer minhas “linhas de baixo”, frases e solos. Eu respondi que, pelo menos naquele momento de vida, minha inspiração para tocar contrabaixo eram o David Sanborn (saxofonista) e o John Bonham (Baterista do Led Zeppelin). Tire referências de negócios completamente diferentes do seu. A excelência está em ler o que não está escrito, enxergar o que não aparece, e escutar o que não foi dito.

8 – ‘TRABALHE EM PROL DE UM NEGÓCIO SEM FRONTEIRAS’

A medicina tem uma organização chamada “Médicos Sem Fronteiras. Esse imponente esforço pode servir como modelo para se transcender as limitações e as estratégias das velhas fórmulas de negócios, que foram criadas para perpetuar velhos sistemas disfarçados de novidades. Estamos falando diretamente de um sistema que está em vigor, um sistema que condiciona os consumidores a comprar apenas os produtos que são classificados como vendáveis, num sistema no qual o dinheiro não passa de meio para um fim”. Tudo isso está em cheque: O propósito das coisas, o sentido das coisas, a necessidade das coisas, e até a existência do próprio dinheiro em si. Repense os propósitos do seu negócio.

9 – ‘TENHA APREÇO PELA VELHA GUARDA’

Embora seja evidente que as novas gerações estejam trazendo um novo olhar, uma nova energia e um novo “mindset”, é bastante inquietante que o aprendizado das gerações passadas esteja sendo tratado com tamanha relutância e desdém. Quem já construiu antes, têm muito o que ajudar hoje. Em nome da ânsia pelo novo, vejo que uma boa parcela das novas gerações não está sabendo “dar o devido valor à riqueza na forma de sabedoria”, não está “permitindo que as lutas deles sejam luzes que iluminam o caminho derrotando a escuridão”. Muito conhecimento está sendo desprezado. Em minhas palestras e cursos para sucessores costumo dizer: escutem atentamente o que suas gerações passadas lhes ensinam. E podem até “jogar fora” metade do que aprenderam com seus pais, desde que joguem a “metade certa”.

10 ‘POR FIM, ESPERAMOS QUE VOCÊ VIVA NUM ESTADO DE CONSTANTE MARAVILHAMENTO’

Por fim, os autores do ensaio, nos presenteiam com uma verdadeira poesia que mantenho intocada: “Na medida em que a nossa bagagem de anos vai aumentando, partes da nossa imaginação tendem a perder o vigor. Não deixe que essa parte da sua imaginação desapareça. Olhe para as estrelas e imagine como seria estar no lugar de um astronauta ou piloto. Imagine explorar as pirâmides ou Machu Picchu. Imagine voar como um pássaro ou destroçar uma parede como o Super Homem. Imagine correr ao lado dos dinossauros ou nadar como monstros marinhos. Tudo o que existe é produto da imaginação de alguém; aprecie e acalente a sua imaginação, e assim estará sempre no precipício das descobertas. Tudo começa com uma causa. As suas causas criam os efeitos que dão forma ao seu futuro, e ao futuro de todos que estão à sua volta. Seja o líder do filme da sua própria vida. Você é o diretor, o produtor e o ator. Seja ousado e incansavelmente compassivo enquanto dança por essa jornada que é a vida.”

Pode haver definição melhor do mindset necessário para que tenhamos sucesso na transformação digital e no encaminhamento de nossas competências para o futuro, como pessoas, e empresários?

Quem diria que aprenderíamos sobre tecnologia, gestão e empreendedorismo com Herbie Hancock & Wayne Shorter?